Saturday, February 24, 2007

A BUSCA


Em muitas faces, busquei o teu sorrir
Em muitas faces, busquei o teu olhar
Não consegui ter, não pude sentir
Não consegui ver, não pude admirar

Fugi do redemoinho atento
Da guarnição de olhares cobiçosos
No profundo igarapé do meu alento
Escondo-me de sentimentos ociosos

Não há larapio que te esconda
Reconheço-te pela pulsação rústica
Acabo com a dúvida paliativa

Teu feraz abraço me encontra.
O caminho contrito desfez a angústia
Numa distante busca intuitiva

*Autora: Lena Casas Novas.
Todos os Direitos Reservados