Wednesday, May 27, 2009

NATUREZA FERIDA



Gotículas cantam
Tristemente,
Pegadas grudam
No solo,
O calor te ruiu
Gravemente,
Agora,
Tenta alcançar
Teu pólo.


Não há tempo
Para despir,
Varal inundado,
Vestes a cair.

O vento
Intrigante,
Tirou
O arco-íris do ar;
Sei...
Estás ferida,

A poluição
Estonteante,
Sepultou
Um pedaço do mar;
Agora,
Tenta perturbar
Tua vida.

repercussão:
Desenvolvimento sustentável
Bar do Escritor

Manufatura

4 comments:

Anderson H. said...

Muito belo. Eu apreciei a levesa deste poema.

Lizzie said...

Uma das coisas que vêm me deixando imensamente triste é essa degradação que o homem vem fazendo com a natureza.
Eu moro em apto, e é cheio de plantas pq adoro, escolhi meu bairro justamente pela quantidade de ar puro e arborização que ele tem. Não conseguiria viver bem em uma cidade grande em um local poluído. Todo local sem verde é triste.
Beijão

Guilherme Roesler said...

Lena,

perfeito como tudo o mais que escreve.

Abraços, Guilherme

Larissa Marques said...

Olá, resolvi te homenagiar lá no Manufatura, espero que goste! Beijo!